Tema: Democracia

Rio de Janeiro, . | Democracia, Direito, Política


Sim, o STF está obrigado a analisar o fatiamento

A controversa decisão do Senado de cassar o mandato de Dilma Rousseff sem a inabilitar para o exercício de cargos públicos suscitou o debate se tal veredito seria passível de revisão pelo STF. Argumenta-se neste texto que aquela corte está obrigada a analisar a questão.

Rio de Janeiro, . | Democracia, Economia, Política


Equilíbrio fiscal: o papel do Congresso Nacional

O Brasil presentemente enfrenta uma das mais fortes recessões, senão a maior, da sua história. Essa crise foi causada pelas políticas econômicas que foram implantadas no final do governo Lula e magnificadas durante a gestão de Dilma Rousseff. Dentre os diversos equívocos daquelas políticas, destaca-se um legado de desarranjo nas contas públicas que colocou em xeque a solvência do estado brasileiro.

Rio de Janeiro, . | Democracia, História, Liberdade


Quatro de julho: uma data a ser celebrada

No dia 4 de julho de 1776 foi declarada a independência das treze colônias britânicas que posteriormente deram origem aos Estados Unidos. O evento em questão é relativamente pouco discutido nas salas de aulas das escolas e universidades brasileiras e também nos textos acadêmicos e jornalísticos produzidos em nosso país. A despeito do quase total esquecimento a que os brasileiros o relegaram, esse acontecimento contribuiu de forma decisiva para todas as outras experiências democráticas que o sucederam.

Rio de Janeiro, . | Capitalismo, Democracia, História, Liberdade


Capitalismo e libertação do trabalho

O leitor certamente já se deparou repetidas vezes com expressões esquerdistas como alienação do trabalho, exploração capitalista, mais-valia, etc. Usualmente, as mesmas são utilizadas para nos convencer de que os trabalhadores vivem um infortúnio ilimitado sob o capitalismo. E, adivinhe, o socialismo é a poção mágica capaz de pôr fim a tamanha crueldade.

Rio de Janeiro, . | Democracia, Economia, História, Liberdade, Política


Primeiro post

Em seu influente livro Capitalismo e Liberdade (1962), o economista norte-americano Milton Friedman afirmou que tirania, servidão e miséria constituíam o estado mais comum na história. Ou seja, sociedades livres, democráticas e prosperas foram exceções ao longo da trajetória da humanidade.